Vinho, Gastronomia e Viagens

Bag in Box: Vale a pena?

Sou a favor do consumo consciente do vinho, mas é difícil abrir uma garrafa e não tomar tudo.
Depois de aberta a garrafa, já inicia o processo de oxidação do vinho e a partir daí é só decadência. Uma solução para fazer o vinho durar mais é a Bag in Box.

 

A Bag in Box

A embalagem Bag in Box é um saco (bag) dentro de uma caixa (box). Possui uma torneirinha que fica fora da caixa e quando o vinho sai não entra ar, evitando que o vinho oxide e fazendo durar mais tempo. 

bag in box vinhobasico

 

Quanto tempo dura uma Bag in Box depois de aberta?

A sugestão de consumo é de 30 dias, mas pode durar até 3 meses. Dura mais porque ela não fica “aberta”. Quando o vinho sai pela torneira o ar não entra.

 

Quantos litros vem em uma Bag in Box?

No mercado, há embalagens de 3 e 5 litros. A embalagem de 3 litros equivale a 4 garrafas de 750ml. 

 

O vinho da Bag in Box é bom?

É mais comum encontrar vinhos simples nesse tipo de embalagem, mas algumas vinícolas já apostam em bons vinhos finos. Engana-se quem pensa que a Bag in Box é o novo garrafão.

 

A Bag in Box é pra você?

A Bag in Box, pode ser uma boa opção se você:

  • Gosta daquela “tacinha” a noite pra relaxar, mas não quer acabar com uma garrafa em plena quarta-feira
  • Não quer beber todos os dias (bebe só quando está a fim)
  • É a única em casa que bebe vinho
  • Mora sozinha
  • Não se importa em repetir o vinho
  • Não está muito preocupada com o glamour da cerimônia de abrir uma garrafa com rolha
  • Gosta de cozinhar, fazer receitas com vinhos, mas tem dó de abrir uma garrafa só pra isso

 

Mas e aí? Vale a pena?

Minha opinião pessoal: VALE!! Gosto de comprar a de 3 litros e deixo na geladeira. Se eu quiser abrir uma garrafa diferente, sei que meu vinho vai ficar lá na bag e não vai estragar. Além disso, o preço ajuda muito: uma box de 3 litros eu paguei cerca de R$70 (uma média de R$17,50 por garrafa) na loja física Tumelero Bebidas, em Caxias do Sul.

Aqui no Brasil é possível encontrar alguns rótulos. Já comprei várias vezes a box da Miolo, mas recentemente descobri o Cabernet Sauvignon da Don Guerino e é o melhor que já provei, até o momento.

bag in box don guerino vinhobasico

O que vocês acham desse tipo de embalagem? Costumam comprar? Me contem aqui nos comentários.

8 vinhos para o dia a dia que eu recomendo

Quando eu penso em vinho para o dia a dia, eu penso em vinho para TODOS OS DIAS. Um vinho que eu possa comprar sem acabar com o orçamento, que não precise de ocasião especial e nem um cardápio super elaborado. É aquele vinho pra beber sem frescura. (Falei de vinhos baratos nesse poste aqui)

Claro que o preço também é importante. Pra mim, não dá pra chamar vinho de R$60,00 de vinho do dia a dia (sorry, mas eu não vou todos os dias no mercado pra comprar um vinho de R$60) por isso que eu fiz uma seleção com vinhos a partir de R$13 até R$35,00.

 

Salton Intenso

Recomendo todos dessa linha. O corte Marselan-Teroldego é feito com duas uvas que se adaptaram bem aqui no Brasil: é um vinho ótimo pra sair do óbvio (já falei dele aqui). Gostei muito também do corte Tannat-Merlot. O branco Sauvignon Blanc-Viognier também é muito interessante.

salton marselan e teroldego vinhobasico

 

Salton Paradoxo

Outra linha mais acessível da Salton que mostra que não precisa ser caro para ser bom. Eu provei o espumante (corte de 4 uvas), o Gewürztraminer (já fiz post dele aqui) e o Merlot. Gostei de todos. Nos restaurantes eu paguei cerca de R$50,00, na vinícola paguei R$35.

 

Casa Perini

Essa linha da Casa Perini tem um bom preço. Gosto bastante do Cabernet Sauvignon e gostei do Chardonnay, muito leve e refrescante. Estou curiosa para experimentar o Casa Perini Solidário Cabernet Sauvignon/Merlot. Preço médio R$31,00.

Rosé de Malbec Sinais Don Guerino

Eu AMO rosés, se for de Malbec, melhor ainda. Esse da Don Guerino é bem leve. Preço R$32,00 na Boccati.

 

Espumante Brut Don Guerino

Um dos melhores espumantes por menos de R$30 que já bebi. Paguei R$26,50. Esse é um Blanc de Blancs, 100% Chardonnay.

 

La Hacienda Chardonnay e Cabernet Sauvignon

Esse vinho uruguaio comprei sem acreditar muito. Estava barato e no rótulo dizia que era meio seco. Gostei bastante e não achei nada doce. Paguei R$19,00 no Zaffari. Na promoção comprei 3 garrafas por R$15 cada uma.

 

Cabernet Sauvignon Costa Vera

Esse rótulo chileno está sempre em promoção no Zaffari. Comprei para experimentar. Gostei do Cabernet Sauvignon e do Sauvignon Blanc. O Carménère não me agradou muito. O preço dele no Zaffari não costuma passar dos R$20,00 (outro dia estava por uns R$13,00 na promoção, mas tinha que levar 6 garrafas).

 

 

Casa Silva Cabernet Sauvignon/Carménère

Comprei por R$35,00 no Zaffari, mas as vezes tem promoção e sai por menos de R$30. Gostei muito desse corte. O Rosé deles também é bom. Vinho Chileno.

 

 

Quem quiser acompanhar os vinhos baratinhos que eu bebo, me segue lá no Instagram (@vinhobasico) que eu sempre posto por lá. E quem tiver boas dicas, me conta aqui nos comentários.

 

O que esperar de um vinho barato?

Outro dia entrei numa discussão sobre um vinho barato (barato no sentido de preço e não no sentido pejorativo de qualidade). Falei que tinha comprado um determinado vinho que custava pouco menos de R$30,00 e um sommelier me “alertou”: “Não espere que este vinho seja excepcional”.

Realmente, pode ser que não seja excepcional, mas o que esperar de um vinho barato?

vinho barato vinhobasico

#1 Tenha o mínimo das características do vinho proposto

Se é um vinho tinto varietal Malbec, espero que ele tenha aromas de Malbec. Ok, não vou esperar aqueles aromas complexos de um “bouquet”, pode ser que nem tenha aromas tão intensos e nem muito persistentes, mas tem que lembrar um Malbec. 

Se é um espumante, espero encontrar “perlages“, aquela pequenas bolhas presentes em espumantes devido ao processo de fermentação. Pode ser que não sejam perlages tão delicadas como as de um champagne, mas tem que ter, e também não pode ser grandes como a de um frisante: Espumante é espumante e frisante é frisante.

 

#2 Não tenha “defeitos”

Quando digo não ter defeitos, não é no sentido de “ser perfeito” e sim no sentido de não ter alguns defeitos do vinho:

 

Foxe

Vinho foxado é um vinho com aromas de uvas americanas. Não é legal abrir um vinho e sentir aquele cheiro de suco de uva integral. Não é isso que se espera de um Vinho Fino.

 

Oxidação

Oxidação é um processo natural e já começa a acontecer quando abrimos a garrafa. Esse processo não é instantâneo, então não dá pra aceitar que ele ja esteja oxidado na primeira taça.

 

Doença de Rolha

Nunca me aconteceu de pegar um vinho bouchonné (até hoje!). Dá pra evitar (não eliminar) escolhendo vinhos com as tampas de rosca (screwcaps), além disso, as roscas são mais baratas que as rolhas de cortiça, o que ajuda a baratear o preço do vinho.

 

#3 Acompanhe uma refeição

Estes vinhos geralmente são vinhos para o dia a dia e “acompanham” bem uma refeição, mesmo que não sejam pratos muito elaborados. Vão bem com pratos simples como pizzas, tortas, massas, tábua de queijos e frios, mas alguns vinhos podem sim possuir boas características, estruturas e aromas que permitam harmonizações com pratos mais elaborados.

 

#4 Entender que cada vinho tem a sua proposta

Algumas frases como: “Ele não tem corpo”, “é ácido”, “é muito/pouco tânico”, “tem muita madeira” não podem ser consideradas, necessariamente, como defeitos, má qualidade ou que o vinho seja ruim. Pode ser a proposta do vinho (do produtor, da uva) ou mesmo a avaliação pessoal de quem está bebendo.

 

#5 Dê prazer em beber

O mais importante é gostar do que está bebendo, independente do preço do vinho.

 

#6 Entender que qualidade custa

Ser muito crítico com vinhos baratos é um tanto quanto incoerente. Qualidade custa e não é só no mundo dos vinhos. Isso acontece com roupas, alimentos, eletrônicos, companhia aérea, carro, café, cerveja, etc.

 

#7 Entender que barato NÃO é sinônimo de ruim

Não é porque é barato que precisa ser ruim. Precisamos acabar com o preconceito de “não compro vinho por menos de XX porque são ruins”, “só vinho caro que é bom”. Aliás, encarecer o produto também é uma técnica de vendas, pois muitas vezes não valorizamos um produto por ele ser “barato demais”. Muitas vezes, pagamos mais caro por um vinho e ele nem vale tanto assim. Pagamos muito pelo marketing, embalagem, fama e pouco pela bebida em si.

 

Vinhos mais baratinhos ajudam a aumentar o consumo, torna a bebida mais acessível e estimula o comércio e a produção. Eu sempre procuro por vinhos mais baratinhos e posto lá no meu Instagram (@vinhobasico).

 

E vocês? Costumam comprar vinhos baratinhos? O que acham? Me recomendem aqui nos comentários os preferidos de vocês!

 

Pra quem quer conhecer vinhos bons e baratos, tem este post que fiz com minha seleção de 30 vinhos por menos de 30 (é antigo, mas alguns preços não aumentaram tanto)

Pra quem quer saber como economizar na compra de vinhos, tem esse post aqui. Também é antigo, mas em breve vou fazer um post mais atualizado com outras dicas.