Vinho, Gastronomia e Viagens

Vinhos para o Inverno: Brancos Encorpados

Se você, é como eu, que não abre mão de um vinho branco (ou rosé) nem no inverno, esse post é pra você. Sei que no Brasil há muito preconceito com os vinhos brancos e com quem gosta de vinho branco, parece “menos chic, menos fino, menos nobre e menos elegante” gostar de vinho branco, mas isso é pura besteira.

 

Brancos Encorpados

Brancos Encorpados vinhobasico

No inverno, buscamos vinhos para aquecer, por isso os brancos encorpados são ótimas opções para essa época. Eles são menos “refrescantes” que os vinhos brancos leves, mas ainda assim, mantêm boa acidez (característica marcante dos vinhos brancos). Muitas vezes são amadurecidos em barricas de carvalho, adicionando aromas de creme, baunilha e manteiga.

 

Chardonnay

Chardonnay de regiões de clima mais quente tendem a ser mais “cremosos”. Procure por Chardonnay da América do Sul, Califórnia, Austrália e alguns da Borgonha.

 

Sémillon

Uma das uvas brancas de Bordeaux, também podem ser mais encorpados e passar por madeira, como os do Sul da Austrália, Washington (EUA) e alguns de Bordeaux.

 

Espumantes elaborados pelo método tradicional

Por ser uma bebida para ser consumida mais gelada, muitas vezes deixamos ele é deixado lado nessa época. Para o inverno prefira os elaborados pelo método  champenoise (tradicional), pois conferem mais cremosidade. Fique a vontade para escolher tanto o branco como o rosé.

 

Rosés

Os rosés são vinhos vinificados como os vinhos brancos, mas são elaborados com uvas tintas (por isso resolvi incluir no post de hoje).

Se quiser um rosé um pouco mais encorpado, escolha os que são elaborados com uvas mais potentes, como Cabernet Sauvignon, Malbec (meus preferidos!), Merlot, Tempranillo. 

 

Harmonizações

  • Carnes magras, mas com textura mais macia: galeto, sobrecoxa ou coxa de frango, filet mignon bovino.
  • Peixes: atum, salmão, peixes assados (com bastante azeite).
  • Pizzas: queijos em geral, brie com damasco, tomate seco com rúcula, vegetarianas em geral, sabores com um toque de mel ou de frutas.
  • Massas: molhos leves ou com ervas, como pesto, alho e óleo, ervas frescas, molho branco, tomates frescos com manjericão, frutos do mar.
  • Foundue de queijos (de carne também fica bom)
  • Cogumelos na manteiga.
  • Culinária japonesa: prefira os vinhos sem passagem por barricas.

As dicas de harmonizações são orientativas.

 

Gostaram das dicas de vinhos para o Inverno? Me fala aqui nos comentários quais vocês já escolheram para ajudar a aguentar o friozinho.

Vinhos para o Inverno: Tintos de Médio Corpo

Ontem falei sobre os vinhos tintos encorpados para o inverno. Hoje o post é para quem prefere vinhos tintos de médio corpo, mais macios ou mais leves.

 

Tintos de Médio Corpo

tintos de medio corpo vinhobasico

O vinhos tintos de corpo médio geralmente são mais fáceis de beber e se você é fã desse tipo de vinho, vou dar algumas sugestões:

 

Cabernet Franc

Aposte nos nacionais. Várias vinícolas da serra gaúcha têm opções de Cabernet Franc. É uma boa alternativa para quem não é muito fã da Cabernet Sauvignon.

Saiba mais sobre a Cabernet Franc aqui

 

Carménère

Essa é bastante conhecida por causa dos vinhos chilenos. O Chile é referência em carménère no mundo, mas a China tem se destacado bastante em suas produções.

Saiba mais sobre a Carménère aqui

 

Grenache

A uva Grenache (ou Garnacha) é uma opção de médio corpo, mas que pode ter um teor alcoólico um pouco mais elevado. Recomendo o Garnacha espanhol por ter preços mais acessíveis que os franceses.

Saiba mais sobre a Grenache aqui

 

Merlot

Se você gosta de um vinho macio, mas que não seja sem graça, a Merlot é uma boa opção. É uma das uvas tintas que melhor se adaptou no Brasil e tem ótimos preços. Quem quiser investir em um Merlot top, aposte em um francês da região de Bordeaux.

Saiba mais sobre a Merlot aqui

 

Outras opções de uvas e vinhos

Negroamaro, Zinfandel (Primitivo), Sangiovese, Chianti, Tempranillo Crianza.

 

Alguns vinhos, mesmo sendo elaborados com uvas com potencial para vinhos encorpados, podem ser de médio corpo, isso acontece porque a uva é apenas um dos fatores importantes para a elaboração do vinho. O clima, método de produção, corte com outras uvas, podem influenciar no resultado final do vinho. Portanto, é possível encontrar um vinho de médio corpo com a uva Malbec ou Cabernet Sauvignon, por exemplo.

 

Harmonização

 

Os vinhos de médio corpo harmonizam bem com a maioria dos pratos e também pratos menos elaborados:

  • Massas com molhos de queijo, molho branco, champignon
  • Carnes: Aves, Suinos, Filet Mignon bovino
  • Tortas, esfihas, empanadas
  • Pizzas: queijos, legumes, defumados leves (presunto cozido, lombo, peito de perú)
  • Calzones
  • Panquecas
  • Hambúrgueres
  • Tábua de queijos e frios

A harmonização NÃO é uma regra, é apenas uma orientação.

 

Amanhã o post é para quem não abre mão de um bom espumante ou vinho branco nem no inverno!

Vinhos para o Inverno: Tintos Encorpados

O inverno começa oficialmente no dia 21 de Junho, mas o frio já tem aparecido com uma certa frequência (escrevo esse post com o termômetro marcando 6 graus… e caindo).

Como o vinho é uma das bebidas com a cara do inverno, vou deixar algumas dicas de vinhos para a estação mais fria do ano.

 

Na hora de escrever, o post ficou muito grande por isso dividi em três partes que vou postar ao longo da semana:

  • Tintos Encorpados
  • Tintos Médios
  • Brancos

 

Tintos encorpados

tintos encorpados 2 vinhobasico

O vinho tinto encorpado é o preferido do inverno. Combina com comidas mais pesadas e são consumidos em uma temperatura mais alta. São mais pesados, tendem a ser mais alcoólicos e ter mais taninos. Algumas das uvas com potencial de tintos encorpados são:

 

Cabernet Sauvignon

Muito fácil de encontrar e com bons preços. Para sair do óbvio, recomendo os da África do Sul e os argentinos (cabernet argentino está entre os meus “cabernets” preferidos).

Saiba mais sobre a Cabernet Sauvignon aqui

 

Malbec

O Malbec argentino é o mais famoso, mas se tiver oportunidade, experimente o malbec francês (da região de Cahors) ou um malbec brasileiro (a Don Guerino produz alguns excelentes).

Leia mais sobre Malbec aqui

 

Bordeaux

O corte de Bordeaux (Cabernet Sauvignon+Merlot+Cabernet Franc) é copiado em várias partes do mundo. Os tradicionais são os franceses, mas se quiser variar, escolha os supertoscanos (Itália), meritages (EUA) ou uma entre várias opções nacionais.

Leia mais sobre blends aqui, blends famosos aqui e versão brasileira de vinhos famosos aqui

 

Tempranillo

Para escolher um tempranillo espanhol mais encorpado, procure vinhos com “Reserva” ou “Gran Reserva” no rótulo. Uma opção para variar o tempranillo espanhol é o português, que pode ser encontrado com o nome de “Aragonez” ou “Tinta Roriz”, dependendo da região.

Mais sobre a tempranillo aqui

 

Touriga Nacional

Uma das uvas símbolo de Portugal, é mais cultivada nas regiões do Douro e do Dão. Para variar, é possível encontrar algumas versões de vinhos brasileiros com a Touriga Nacional, como por exemplo a Dal Pizzol.

 

Pinotage

É a uva símbolo da África do Sul, mas não é a mais plantada. É um cruzamento da Pinot Noir com a Cinsault, mas não se parece nada com elas.

 

Syrah

É muito plantada em várias partes do mundo e cada vinho tem uma característica diferente. A Austrália ganhou destaque por fazer excelentes Syrahs, mas se quiser uma versão da América do Sul, aposte nos argentinos.

Mais sobre Syrah aqui

 

Tannat

São muito, mas muito encorpados e o inverno é a melhor época para aproveitar vinhos com essa uva. Apesar de ser uma uva da região de Bordeaux, é mais cultivada no Uruguai e tem ótimas opções com qualidade e preços bons.

 

Outras opções de uvas e vinhos

Nebbiolo, Nero d’Avola, Petit Verdot, Petite Sirah, Mourvèdre (ou Monastrell), Brunello de Montalcino, Barolo, Châteauneuf-du-Pape.

 

Harmonização

Para harmonizar com os tintos encorpados, o interessante é escolher comidas mais “encorpadas”, mais pesadas. Algumas opções:

  • Massas com molhos de carne: bolonhesa, ragú de carne
  • Carnes vermelhas: Carne bovina, cordeiro.
  • Queijos Fortes e Duros: Parmesão, Pecorino, Grana. 
  • Pizzas com defumados mais fortes: calabresa, pepperoni, salame, bacon.

A harmonização é apenas orientativa. Fique a vontade para testar e descobrir novos gostos e sabores!

 

Se quiserem dicas de rótulos, me fala aqui nos comentários ou nas redes sociais que faço um post com algumas sugestões.

 

Amanhã coloco o post dos Tintos Médios, pra quem prefere algo mais leve.